quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Drummond e Pampers.


São fraldas e livros,
Noites com sono.
Madrugadas vividas a favor de um sonho.

São mamadeiras
Quentes na beira do fogo.
São roupas sujas e limpas de novo.
A paciência é a virtude
Na hora do sufoco.

Entre gritos e choros,
Foi feito o parto.
Mas é no decorrer
Da vida é que se “come o dobrado”.

São versos escritos
Em um lenço umedecido.
Drummond recitando  na beira do caminho,
Uma pedra que um dia vai me chamar de “painho”.


Por: Cícero Augusto.

2 comentários:

  1. Mto du karai!! Lindo.
    Manda notícias.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a poesia e o novo layout!

    Comentário de menina mesmo.kk

    ResponderExcluir